ministério da cultura

:: O que é Vaidade?


O que é Vaidade?

Há mais de dois milênios por geração a geração o homem tem demonstrado o poder negativo que a vaidade é capaz de gerar dentro de uma sociedade. Talvez fosse pela introjeção que o indivíduo ao se observar narcisicamente tem como seu eixo principal de identificação com o mundo a imagem de sua própria estrutura biológica.

Vaidade está além da capacidade de identificação com seu espectro corporal, é uma identificação acentuada dos componentes instintivos e egoicos que movem o indivíduo na direção de sua autoestima.

A sociedade humana caminha sobre três grandes pilares: o deslocamento, a comunicabilidade e a temporalidade.

Quando alguém concentra em uma atividade exclusiva de sua psique o seu deslocamento fica comprometido, porque a vaidade egoica que é capaz de reter o foco e a atenção de quem percebe internamente a vida como seu ponto de partida e destino não tornando capaz de estabelecer um vínculo mais descritivo e direto com o ambiente pelo qual o sentido do deslocamento é sua necessidade primária de direcionamento.

A comunicação dentro deste contexto de vaidade egoica transfere o canal para entes internos em que o processo de identificação se fusiona a uma acústica de isolamento externo em que o que apenas faz sentido é a retenção psíquica do que já foi validado e percebido.

A temporalidade na afetação da vaidade condiciona o indivíduo à busca objetal por elementos de sua instância primária e secundária em um processo de interiorização contínua e um desmerecimento do que é apreendido correntemente do movimento contínuo da existência temporal.

Envaidecer é desapegar-se do mundo objetal externo, para investir em si mesmo e por si mesmo, em que as noções de partilha e permuta sensorial ficam comprometidas do vínculo interativo com outros seres ou objetos.

A falha do processo de comunicação é o principal complicador que torna a pessoa não reativa no processo evolutivo do ambiente, tornando-a presa fácil da práxis do desequilíbrio sistêmico não homeostático.

O ego tem um importante papel de economia, em que torna o processo de consulta do constituinte psíquico como uma ferramenta-modalidade eficaz na retenção do percebido que denota algo do mundo exterior que é interessante condensar dentro de si por um despertar do interesse fusional de uma libido condiciona a uma estrutura de princípios de prazer.

O ato de envaidecer é uma estrutura viciantemente prazerosa que retira o investimento do mundo a sua volta para fazer de você um mero recorrente de formas conscientes já validadas em que seu desejo primitivo ou primário se ancora no despertar de forças concentradas no inconsciente que ao estabelecerem o vínculo consciente revivem os acondicionamentos que tanto fazem o despertar da libido pontos de satisfação que devem ser perseguidos.

A dificuldade deste vício da instância do prazer está no relacionamento do mundo externo que vai ficando renegado de novas permutas de conhecimento, em que o quadro de afetação do indivíduo o faz perder o interesse por outros seres e também por outras escolhas de interação com o contexto a sua volta.

Eclesiastes 1

1 Palavras do pregador, filho de Davi, rei em Jerusalém.

2 Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.

3 Que proveito tem o homem, de todo o seu trabalho, que faz debaixo do sol?

4 Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece.

5 Nasce o sol, e o sol se põe, e apressa-se e volta ao seu lugar de onde nasceu.

6 O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos.

7 Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.

8 Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir.

9 O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.

10 Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós.

11 Já não há lembrança das coisas que precederam, e das coisas que hão de ser também delas não haverá lembrança, entre os que hão de vir depois.

12 Eu, o pregador, fui rei sobre Israel em Jerusalém.

13 E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.

14 Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito.

15 Aquilo que é torto não se pode endireitar; aquilo que falta não se pode calcular.

16 Falei eu com o meu coração, dizendo: Eis que eu me engrandeci, e sobrepujei em sabedoria a todos os que houve antes de mim em Jerusalém; e o meu coração contemplou abundantemente a sabedoria e o conhecimento.

17 E apliquei o meu coração a conhecer a sabedoria e a conhecer os desvarios e as loucuras, e vim a saber que também isto era aflição de espírito.

18 Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor.

A escolha objetal de Davi era focar sobre o apego ao mundo contido dentro de si, onde a percepção do ambiente estava cravada como uma sepultura dentro do indivíduo que ao não mais perceber o “algo novo” recorria à ilusão de si mesmo como uma instância máxima de sua existência.

O usufruir do que está disposto no ambiente-contexto é uma escolha objetal externa distante do ser que envaidece, porque ao envaidecer ele concentra dentro de si todas as instâncias já possuídas, e não a associação com a estrutura-ambiente em que seus processos de deslocamento, comunicabilidade e temporalidade se apoiam.

Que proveito tem o homem, de todo o seu trabalho, que faz debaixo do sol?

O identificar constante de si mesmo afeta a temporalidade que não permite ao homem transacionar-se perante o ambiente.

Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece

O mundo contínuo em suas transformações perde o seu significado porque as pessoas regadas de vaidade tornam suas vidas singulares estruturas de isolamento sensorial e enquanto o ambiente se projeta nada é percebido de fato.

Nasce o sol, e o sol se põe, e apressa-se e volta ao seu lugar de onde nasceu.

O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos.

Então o fato da mera recorrência é suficiente para que o homem se feche em si mesmo para justificar seu isolamento para com o mundo. A presunção de estar integrado com o todo tira o livre arbítrio do indivíduo que passa a envaidecer-se no excessivo olhar interno de si mesmo.

Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.

Porém nem tudo é fato de se estar interiorizado, sempre haverá novas coisas a formar o elo entre o psíquico e o somático extraído do ambiente.

Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir.

Os padrões de comportamento abastecem a vaidade em sua forma da não observação do espectro ambiental.

O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.

E tais padrões ressaltam sobre a mente de quem conspira a favor da vaidade a sensação de perda da temporalidade em relação ao mundo.

Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós.

Porém o espectro externo que compõe o mundo é tão variado que é impossível consolidar internamente todos os seus aspectos dentro da memória.

Já não há lembrança das coisas que precederam, e das coisas que hão de ser também delas não haverá lembrança, entre os que hão de vir depois.

A sabedoria está em identificar-se com o mundo, e trazer o alvo de sua identificação para dentro de si, para envaidecer-se apenas quando é necessário recorrer ao aprendizado para constituir uma métrica de comparação com o novo que continuamente é percebido pelo espectro do ambiente, para fazer deste uma nova concepção de volúpia, onde o prazer está centrado em conotar as apreensões em escalas e acordes musicais de uma contínua composição de prazer que não tem fim. Isolar-se jamais.

Autor: Max Diniz Cruzeiro



20/06/2015 - Max Diniz Cruzeiro
Eu quero participar!
Faça seu comentário

Critério

Crítica
Sugestão
Ideia
Desabafo
Elogio
Sentimento
Outro

Título


Somente palavras e/ou números

Seu comentário

Somente palavras e/ou números em português ou inglês
Limite de 500 caracteres.

Nota

-100 a +100

Cidade

Estado

País


Organização e ordenação de Registros Textuais
OortBook® organizando informações para melhor atendê-lo!




Max Diniz Cruzeiro

Electronics Technician

Bachelor of Statistics

Post graduate in Clinical and Business Psychopedagogy

MBA in Marketing and Social Networks

Postgraduate in Clinical Neuroscience

Postgraduate in Psychoanalytic Theory

Doctor PhD Student in Philosophy - Psychology: Cognitive

Self-taught Writer

Self-taught Ufologist

Specialist Self-taught in Remote Sensing

100% of the production of texts is in Portuguese!
95% of text production is in English!
90% of the production of texts is in Spanish!
The records from 2105 to 52104 is a great mechanical phrase writing experiment crafted in excel!









ADIÇÃO (22/MAR/2017) NO SITE LenderBook

INSAUT MATERIAL PRINCIPAL DA LENDERBOOK



Listar índice completo...





Previsão para Setembro de 2016













The film contains technology information!






Release (Book of Knowledge): Pay for this book the price of a Fast Food your city in our donation systems (paypal or Pague seguro).

Lançamento (Livro do Conhecimento): Pague por este livro o preço de um Fast Food da sua cidade em nossos sistemas de doações (Pague seguro ou paypal).


Version Original +- 4,3 MegaBytes
].....[
Version with Art +- 75 MegaBytes
].....[
Doando você estará ajudando alguém através de nossos projetos














Amigos,
Bom dia,
Ofereço serviços de impressão a Laser frente e verso de excelente qualidade:
Regra: o trabalho deve estar digitalizado e não necessitar de qualquer tipo de revisão
Especificação: Folha A4
Valores:
Apenas toner preto: 15 centavos cada página
Com toner colorido: 30 centavos cada página

Obs.: Não é serviço de xerox a qualidade é igual a impressão de livro. Não fazemos desconto. Os valores de impressão para este tipo de serviço no mercado é de 25 centavos para toner preto e 1 real para toner colorido.
Se souberem de algum estudante que queira imprimir algum trabalho de alta qualidade repasse o meu e-mail por favor. Conforme o volume entrega no dia seguinte. Serviço realizado no período noturno. Necessário pedir com antecedência para entrar na fila de impressão.
Enviamos o material impresso através dos Correios para sua casa (Impressão + custos de envio). Aproveite a oportunidade selecione nossos textos que enviamos para você o seu arquivo digital impresso. Pagamento antecipado via paypal ou pagseguro.
lenderbook@gmail.com

A rede social da Cultura Brasileira
Disponível para todos que nutrem um amor inconfundível por esta pátria chamada Brasil.

Uma iniciativa do Ministério da Cultura - Governo Federal




Site designed and supervised by Clinical Neuroscientist.

Site desenvolvido e orientado por Neurocientista Clínico.

Max Diniz Cruzeiro



Welcome to Heavenly groupings

The brothers who are outside the celestial vault,

thanks for your existence,

Come to us all that comes from you what is good,

Is made a conscious and collective will,

On Earth as elsewhere

Let us be worthy of our own support

Spare us the misunderstanding that arises from our essence

Just as we are able to reflect and

limit the badly that arises within us and in relation to other beings

If you know of any fault of mine, show me the way to recover.

To build together a heavenly nation for the common good.

Bem-Vindos aos agrupamentos Celestiais

Aos irmãos que estão fora da abóboda celeste,

obrigado pela sua existência,

Venha a nós tudo o que procede de ti que for bom,

Seja feita uma vontade consciente e coletiva,

Assim na Terra como em outros lugares

Sejamos merecedores de nosso próprio sustento

Perdoai-nos a incompreensão que aflora de nossa essência

Assim como somos capazes de refletir e limitar o mal que aflora dentro de nós e em relação a outros seres

Se souberes de alguma falta minha, me mostre o caminho para me recuperar.

Para construirmos juntos uma nação celestial para o bem comum.

We need financial resources for the translation of our texts and if you are able to perceive a human gain in your life with our information please consider donating to our activity.

Nós necessitamos de recursos financeiros para a tradução de nossos textos e se você é capaz de perceber um ganho humano em sua vida com nossas informações favor considerar a possibilidade de fazer doações para nossa atividade.










The star contains more than 2,000 pages of information!






Insaut - Pular Informações corporativas e ir para o texto


10 ANOS DE LENDERBOOK





INSAUT TOP